Entenda as regras de bagagem para vôos nacionais

Powered by Rock Convert

As novas regras de bagagem brasileiras, como ocorre com uma certa frequência, nem sempre são claras. Embora as dimensões permitidas sejam unificadas, o fato é que, se você estiver com uma mala um pouco maior (dependendo do aeroporto e da companhia), é bem possível que você acabe embarcando sem maiores problemas.

O problema é que, se em algum dessas situações, os funcionários resolverem seguir a legislação ao pé da letra, você terá aborrecimentos e custos, pois o pagamento para despachar em cima da hora é bem mais alto do que se esse serviço for adquirido com antecedência ou até mesmo no ato da compra da passagem.

Para evitar esse tipo de situação, o melhor é conhecer as regras de bagagem e estar adaptado a elas — e é isso que você vai ler neste texto. Vamos lá!

Como ficaram as bagagens de mão?

Com a nova regra de bagagem, quem costuma andar de avião sentiu dois efeitos imediatos. Primeiro, mais passageiros começaram a levar malas de mão. A ideia é evitar o pagamento do despacho da bagagem, que passou a ter custo.

O segundo resultado foi a redução da quantidade de volumes que as pessoas levavam a bordo. Agora, só se pode levar dois tipos de bagagem, entre malas de mão, mochilas, sacolas e bolsas. Bem diferente do que acontecia antes, quando uma mesma pessoa levava muita bagagem em mãos para evitar exceder o limite de peso na mala ou porque as embalagens ou produtos eram mais frágeis.

Powered by Rock Convert

As bagagens despachadas no porão de carga do avião viraram uma fonte de lucro para as empresas e, por outro lado, sem nenhuma regulamentação, o risco de malas cada vez maiores sendo apresentadas como bagagem de mão era real. Diante disso, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) estipulou limites para os volumes que podem ser trazidos a bordo, sendo:

  • Peso: 10 quilos
  • Altura: 55 centímetros
  • Largura: 35 centímetros
  • Profundidade: 25 centímetros

Esse padrão foi bastante contestado, pois não segue as medidas adotadas em outros países e o tamanho determinado é bem menor do que o espaço que há nos bagageiros dos aviões, mas essa é a referência que acabou permanecendo.

O ideal, portanto, é  comprar sua mala nesse tamanho exato. Porém, se você já tem uma e está com dúvidas, pode medir usando uma régua ou fita métrica ou, ainda, nos gabaritos que existem nas entradas das salas de embarque da maior parte dos aeroportos brasileiros.

O que mudou nas bagagens despachadas?

As bagagens que não são consideradas de mão ou que excedem as medidas precisam ser, obrigatoriamente, despachadas. O valor de cada volume varia de companhia para companhia, que os fixa de acordo com sua estratégia comercial, mas há pelo menos uma regra em comum entre todas elas: deixar para pagar pelo despacho somente na hora de embarcar sai mais caro (normalmente o dobro do preço). O limite de peso por volume continua sendo de 23 quilos para todas as companhias  

Neste texto, explicamos como funcionam as novas regras de bagagem nos aeroportos brasileiros e como você deve se preparar para lidar com elas de modo a evitar custos e aborrecimentos desnecessários ao viajar.

Se você considerou esse conteúdo útil para você, que tal compartilhar com seus amigos usando as redes sociais? Assim eles também vão poder se prevenir!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário

Share This