Qual a melhor época para viajar para Alter do Chão?

Powered by Rock Convert

Ao programar férias para um destino desconhecido, sempre bate aquela dúvida: qual seria o melhor período do ano para visitar esse lugar? Essa dúvida é ainda mais comum entre os interessados em turismo ecológico, uma categoria de viagem que leva muitos fatores em consideração. Se você já se perguntou qual seria a melhor época para viajar para Alter do Chão, não perca as próximas linhas deste post!

Ter conhecimento de fatores como a localização e forma de acesso, a temperatura, a incidência de chuvas, as opções de hospedagem, as festas tradicionais e os eventos típicos do local é relevante para o sucesso do planejamento de qualquer viagem.

Caso você esteja viajando para a Amazônia pela primeira vez, tenha em mente que o clima da região é quente e úmido ao longo de todo o ano. Por isso, capriche no protetor solar e em acessórios como óculos escuros e chapéus ao fazer a sua mala!

Ainda que as temperaturas sejam relativamente constantes, algumas localidades na Amazônia têm sua paisagem bastante modificada entre o inverno e o verão. Esse é o caso de Alter do Chão, vila paradisíaca que está localizada a 30 km da cidade de Santarém, no Oeste do estado do Pará.

Pensando nisso, preparamos um post para você que quer viajar para Alter do Chão na melhor época. Descubra os encantos da região e confira nossas dicas abaixo!

As razões para viajar para Alter do Chão

Esse lugar é tão paradisíaco que não é muito difícil convencer um viajante de que é uma boa opção para passar as férias em família ou acompanhado do par, de amigos e até mesmo sozinho. Se você ainda tem dúvidas sobre por que conhecer Alter do Chão, aqui vão algumas razões:

  • poder apreciar as belezas de uma natureza ainda preservada;
  • degustar sabores exóticos e diferenciados;
  • relaxar e desfrutar das águas claras e calmas.

Alter do Chão é o lugar ideal para passar momentos de sossego com a família, praticar turismo ecológicoe relaxar em hotéis localizados próximos a seus belos rios, igarapés, lagos, florestas e praias.

Os caminhos para chegar a Alter do Chão

Alter do Chão é um distrito de Santarém, a terceira maior cidade do estado do Pará. O município abriga um aeroporto de dimensões pequenas, de onde partem e chegam regularmente voos com destino a Brasília, Manaus, Belém, Itaituba, Altamira e Parintins, na maioria das vezes, durante a madrugada.

distância da vila até o aeroporto de Santarém, pela PA-457, é de 38 km. A locomoção na região pode ser feita de barco, de ônibus comum, veículo locado ou táxi.

Também é possível chegar à vila de barco, saindo das capitais Belém e Manaus, em viagens que duram de dois a três dias. Todos os voos para Santarém têm escala nessas duas cidades.

A travessia da vila até a Ilha do Amor é realizada por barqueiros de uma associação local, os catraieiros. Ao final do período de estiagem, que é quando as águas estão no seu nível mais baixo, essa passagem de um lado para o outro chega a ser feita por muitos visitantes a pé.

As principais atrações

Estando em Santarém, não deixe de visitar o Mercado Público, considerado “a alma da cidade”. Plantas e ervas medicinais, frutas regionais, tucupi, artesanato, farinhas de tapioca e mandioca são alguns dos itens que preservam a cultura regional, nas barraquinhas distribuídas no ponto turístico, além dos peixes.

Já em Alter do Chão,  vilarejo conhecido como o Caribe Amazônico, você encontrará uma área cercada por belas praias e emoldurada por extensas faixas de areia branca e águas doces, quentes e em tons de azul-turquesa.

Além disso, o município de Santarém tem muitos rios, como o Tapajós, o Arapiuns, que permitem visualizar horizontes deslumbrantes e inesquecíveis. A localidade é ideal para quem deseja descansar em meio à natureza e desfrutar de paisagens que são verdadeiros espetáculos.

Gastronomia

A gastronomia de Alter do Chão é uma atração à parte. A culinária do Norte — principalmente a do Pará — é uma das mais exóticas do país, com muita variedade de frutas locais, peixes de água doce e uma deliciosa combinação de temperos, em uma mistura influenciada pelas culturas africana, indígena e portuguesa.

Nos restaurantes, peixarias e bistrôs, não deixe de provar moquecas, caldeiradas e peixes regionais assados na brasa, como pirarucu, filhote, tambaqui e tucunaré. Para os apreciadores de cachaça, a dica é degustar as versões do líquido feitas a partir de jambu, uma espécie de verdura com propriedades anestésicas.

A cachaça de jambu é um sucesso inclusive fora do estado e sua composição pode ter variações combinadas com açaí, castanhas e frutas regionais. Falando em frutas, não deixe de experimentar os sucos, pavês e sorvetes feitos à base de ingredientes como cupuaçu, bacuri, taperebá e muruci.

Clima

Antes de viajar para Alter do Chão, é importante saber que os cenários mudam completamente de um período para outro, já que o clima local não é necessariamente influenciado pelas estações, mas pelas épocas de cheia ou estiagem.

O nível do rio e a intensidade das chuvas podem interferir muito em sua estadia na região. Quanto mais seco estiver o tempo, maiores serão as faixas de areia expostas ao longo do rio Tapajós — cenário perfeito para quem deseja curtir sombra e água fresca nas belas praias do lugar.

Já no período da cheia dos rios, quando o volume de água ocupa boa parte do território, essas praias ficam encobertas — possibilitando que os turistas vivenciem experiências como passeios de barco entre as copas das árvores, através das florestas alagadas que são encantadoras.

Powered by Rock Convert

Período da estiagem

Por conta do clima equatorial, a região Norte do país não tem as quatro estações bem definidas ao longo do ano. Os chamados verão e inverno amazônicos estão, na verdade, respectivamente associados aos períodos de estiagem e de chuva intensa — quando o nível da água dos rios sobe consideravelmente.

Caso você esteja preparando uma viagem ao Pará, fique ligado: os meses de julho a janeiro são os mais quentes. Em Alter do Chão, esse é um ótimo período para aproveitar as praias formadas por bancos de areia branquinha e banhadas pela água cristalina do Rio Tapajós.

Época das cheias

A melhor época para viajar a um destino desconhecido é aquela em que você pode realizar as atividades que mais lhe interessam. Felizmente, Alter do Chão oferece diversas opções de passeio ao longo do ano todo.

Se você está em busca de trilhas, visitas às áreas de reserva florestal, passeios por igapós e pelas florestas inundadas, deve optar por desembarcar em Santarém entre os meses de março a junho, na época das cheias. É nesse período que é possível (dependendo do nível das águas) passear de barco pelas copas das árvores que ficam em áreas alagadas e se encantar pelas belezas da região!

Raramente chove um dia inteiro, mas esse é o período em que as pancadas de chuva são mais intensas, trazendo uma nova configuração à beleza de Alter do Chão.

As opções de lazer de cada período do ano

Alter do Chão é um daqueles destinos que podem ser visitados em qualquer época do ano, já que durante os 12 meses os turistas encontram atrações imperdíveis e passeios encantadores. Mas há uma variação considerável entre uma estação e outra.

Para se ter uma ideia, a diferença de volume de água entre uma época e outra é tão grande que no período das chuvas é possível avistar apenas a cobertura dos quiosques no meio do Lago Verde.

Descubra algumas dessas opções, de acordo com o clima da região.

Verão

No verão, a estação mais seca, é quando as águas baixam e as praias reaparecem. Os turistas podem aproveitar as belas praias emolduradas por uma extensa faixa de areia branca, águas cristalinas e abundante vegetação em seu entorno.

Um dos cartões-postais de Alter do Chão é a Ilha do Amor, localizada bem em frente à vila. Essa ilha atua como se fosse uma barreira: de um lado, as águas do famoso rio Tapajós fluem normalmente; do outro, há um belo reservatório de água, de cor de esmeralda, onde fica o chamado Lago Verde.

Para chegar até lá, a travessia é realizada por barco, mas nos meses de estiagem é possível chegar andando. Outra atração imperdível é a Ponta do Cururu, uma praia deserta onde é possível contemplar um pôr do sol deslumbrante.

Nessa época, que vai de agosto a dezembro, os animais são vistos com mais frequência, devido ao período de reprodução das espécies. Além disso, o turista que viajar para Alter do Chão no verão vai encontrar o vilarejo mais agitado, principalmente por causa das festividades que ocorrem na estação.

Inverno

No inverno temos o período mais chuvoso, sendo que um dos principais entretenimentos são os passeios de canoa pela Floresta Encantada. Quando as águas sobem demais, a região fica inundada e é possível realizar o percurso de barco entre pelos igapós.

Uma opção para quem vai viajar para Alter do Chão na época das cheias é conhecer a Floresta Nacional do Tapajós, uma importante unidade de conservação da natureza. Ali, é possível realizar caminhadas, tomar banho de rio, visitar os projetos comunitários do local e conhecer de perto a vida dos ribeirinhos e das tribos indígenas que habitam a região.

Mesmo no período chuvoso, que vai mais ou menos de janeiro a julho, a cidade promove uma variada programação cultural para entreter os visitantes, como eventos com danças típicas — como o carimbó e apresentações musicais regionais.

A Festa do Sairé ou Çairé

A terceira semana de setembro é um dos períodos de maior movimento na cidade de Santarém e na vila de Alter do Chão: é quando acontece o Çairé, uma das festas populares mais significativas da região. O evento, que conta com procissões e com a tradicional disputa entre o Boto Cor-de-Rosa e o Boto Tucuxi, mistura elementos do cristianismo e da cultura indígena.

Essa é a época em que a cidade recebe o maior número de turistas nacionais e estrangeiros — eles disputam cada pedacinho de areia em suas praias, além de se deliciarem com a fervilhante cultura local.

Se é esse tipo de movimentação que você está buscando, programe a sua viagem para Alter do Chão nesse período. Porém, se o seu objetivo é uma viagem mais tranquila, na qual você pretende se hospedar perto da natureza para recarregar as baterias, talvez setembro não seja o período mais aconselhado para você.

De qualquer maneira, a melhor época para viajar varia de acordo com os seus interesses e com a sua disponibilidade. Além disso, não se esqueça de que, quando se trata de destinos como a Amazônia, o clima e o período de chuvas também interferem, certo?

Vale lembrar, para quem ainda não sabe, que aqueles que visitam o Caribe Amazônico não costumam se arrepender. No final das contas, você já sabe: o que importa mesmo é planejar sua viagem da forma mais adequada possível, garantindo a melhor estadia para você e sua família!

Mas se você deseja viajar para Alter do Chão na melhor época e não sabe por onde começar essa aventura, entre em contato com a gente! Nossa equipe ajudará você a fazer o planejamento das suas próximas férias.

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário

Share This